Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Contador D'Estórias

Um blog com estórias dentro.

Contador D'Estórias

Um blog com estórias dentro.

Dom | 04.01.15

De Volta À Guitarra - Improvisar Um Transpositor (Capo)

Carina Pereira
Como comecei a tocar guitarra há pouco tempo e a única loja de música aqui da terra onde vivo fechou, ainda não tinha comprado um transpositor para a minha guitarra acústica. Mas, ao procurar músicas simples para começar já a treinar os acordes que sei, deparei-me com a "What's Up" das 4 Non Blondes, que leva com o transpositor no segundo traste, logo assim a matar. Quando encontro algo que sei que posso fazer mas não tenho todos os meios para fazê-lo, dá-me logo a comichão de arranjar uma forma de improvisar o que quero. A minha primeira tentativa de inventar um transpositor foram aquelas peças plásticas que usam muito nos filmes para prender os reféns, que uma vez apertadas nunca mais se abrem a não ser que se cortem. Não me lembro do nome mas também não preciso, porque não funcionam. O plástico dobra, as cordas ressoam. Não é bonito.Virei-me então para um dos meus aliados da web - "no meu tempo tinha de ir à biblioteca, estes jovens de hoje em dia sem tecnologia não são nada" - e googlei uma maneira de fazer um capo com o que tivesse à mão. Também tentei, antes ainda de ceder à única forma evidente de fazer um, usar um daqueles travessões - como faço laços para o cabelo tenho isso sempre à mão - mas, tal como a peça de plástico para prender reféns, também o travessão me falhou. Por isso não percam tempo, o que vos vou mostrar a seguir é a forma mais simples e funcional de improvisarem um capo.Precisam de:- Um lápis (depois de algumas tentativas e erros cheguei à conclusão que os lápis do Ikea são os melhores para isto. Devem ter uma aerodinâmica especial, não sei, mas são os que funcionam melhor. Se não houver Ikea amanhem-se com qualquer coisa e boa sorte.)- Alguns elásticos (de escritório. O ideal seriam à volta de três elásticos, mas como verão nas minhas fotos eu só tinha dois em casa e acabei por rebentar - e remendar também - um deles. Mas o som vai sair mais limpinho se usarem três pois puxará mais o lápis de encontro às cordas.)Para quem precise, e como quero deixar aqui tudo direitinho, está aqui um exemplo dos materiais que eu usei (inclusivé o elástico já rebentado e remendado):Como fazer:- Dobrar os elásticos a meio assim:- Colocar o lápis sobre o traste pretendido- Prender com o elástico colocando-o numa ponta do lápis e depois passando-o por trás do braço da guitarra, prendendo-o na outra ponta do lápis.- Colocar quantos elásticos forem necessários para produzir um som limpo ("quantos forem necessários," digo eu, mas sejam sensíveis.)- E voilá! Feitinho!Eu não sei que efeito os elásticos podem ter a longo prazo no braço da guitarra - talvez este medo tenha a ver com um velho trauma que ainda me assombra por causa de uma guitarra minha antiga cujo braço partiu e cuja perda me fez chorar rios e mares, mas a precaução é sempre um bom caminho - mas eu não aconselhava a deixar sempre este transpositor improvisado colocado na guitarra. Quando não uso a guitarra durante algum tempo eu retiro-o. E, de qualquer forma, isto é suposto servir como um desembaraço, não para ser usado como espeto de pau em casa de ferreiro.Espero que este pequeno tutorial tenha sido útil e vos desenrasque em tempos menos áureos.

Carina Pereira

2 comentários

Comentar post