Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contador D'Estórias

Um blog com estórias dentro.

Contador D'Estórias

Um blog com estórias dentro.

Dom | 28.05.17

Audiobooks | Firoozeh Dumas E Neil Gaiman

Carina Pereira
(Preparem-se que hoje é dia de book reviews)

Como sabem, ando constantemente a ouvir audiobooks no trabalho. Este fim-de-semana, aliás, estive a fazer uma cama de paletes para o meu quarto (depois coloco aqui o tutorial) e, mais uma vez, os audiobooks foram a minha companhia. Encontrei também mais dois daily deals interessantes no Audible, que estão à minha espera quando a semana de trabalho começar.

Para simplificar as coisas, nesta publicação vou falar dos dois últimos audiobooks que ouvi, um escrito pelo Neil Gaiman, o outro por Firoozeh Dumas.

*

Neil Gaiman | The View From The Cheap Seats

Sem saber muito bem como, fiquei com a ideia de que este livro era uma espécie de biografia, mas é afinal uma colectânia de dissertações, prólogos e introduções que Neil Gaiman foi escrevendo ao longo dos anos sobre os mais variados assuntos. Embora os textos sejam, individualmente, interessantes, a leitura do livro teria sido mais fácil feita aos poucos, em vez de os ter ouvido assim de seguida, até porque a maioria deles não tem qualquer ligação entre si. Como audiobook acaba por ser um pouco monótono, embora a leitura feita pelo autor nunca desaponte.

29069003.jpg

Firoozeh Dumas | Funny In Farsi

Adquiri este livro num dos daily deals do Audible, apenas porque as reviews eram tão boas e porque eu adoro memoirs. Não conhecia a autora, mas foi uma compra às cegas que compensou.

O livro fala sobre a vida de Firoozeh Dumas; nascida no Irão, em criança emigrou para os Estados Unidos com a família. Ao longo do audiobook Firoozeh fala das diferenças culturais, da discriminação de que é, muitas vezes, alvo, e relata episódios de família hilariantes. Aliás, todo o livro é cómico e, mesmo sem conhecer a autora, é um regalo poder conhecer assim a sua vida e os episódios que mais a marcaram.

É curioso que, geralmente, são as celebridades quem decide contar a história da sua vida, mas não me fez qualquer diferença ouvir sobre a vida de uma estranha, ainda por cima com histórias tão interessantes. Espero que haja mais livros deste género.

41J82-eC71L._SX322_BO1,204,203,200_.jpg

Carina Pereira

Dom | 28.05.17

Stephen King | Carrie

Carina Pereira

Fiquei com curiosidade de ler mais obras de Stephen King - só tinha lido o The Shining - depois de ter adquirido o audiobook da biografia/dicas de escrita que King editou, de que falei aqui.

Não sou fã de histórias de horror, mas tenho mais facilidade em lê-las do que em vê-las (daí ter lido o The Shining sem problemas, mas continuar a recusar a ver o filme). Carrie foi o primeiro livro editado de King e conta a história de uma miúda criada por uma mãe fervorosamente religiosa, que teve de lidar com bullying por parte dos colegas durante anos. Aquando da primeira menstruação, Carrie adquire poderes telequinéticos e é aí que começa a festa. Depois de uma série de eventos em que Carrie, constantemente abusada em casa e na escola, acaba envolvida numa espiral de desentendimentos, ela usa a telequinesia para dar a quem alguma vez a magoou - física e psicologicamente - o tratamento merecido.

A escrita é excelente, com King não se limitando a narrar os acontecimentos em linha recta, mas também a criar uma série de livros e testemunhos dentro da história, mudando o tempo da narrativa várias vezes. O final foi muito satisfatório. Toda a gente que abusou de Carrie teve o que merecia e houve espaço para alguma redenção.

Tenho ainda algumas leituras a pôr em dia, mas vou voltar certamente à escrita de Stephen King.

Carina Pereira

Carrie-book-cover-image