Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contador D'Estórias

Um blog com estórias dentro.

Contador D'Estórias

Um blog com estórias dentro.

Sab | 09.05.15

A Vida Dos Outros

Carina Pereira
Há vidas fascinantes. Há vidas que nem precisam de encadernação com capa de couro polida, são livros abertos e inteiros, de nos perdermos assim mesmo, só em as ouvir.A vida alheia fascina-me. Não num esforço mesquinho de a querer saber por saber, de a julgar ou apontar dedos, mas na simples e sincera curiosidade de gostar de histórias. Embora me retraia a questionar quando tenho oportunidade, gosto de saber dos passados de outrem, dos seus rios e afluentes, de experiências que não são minhas. Fico embevecida a ouvir as histórias das vidas dos outros. Às vezes, até um pouco ciumenta. Não do ciúme que quer arrancar o que os outros têm, só do ciúme de querer eu mesma ter uma vida assim, assente em magia e em histórias que nos deixam de olhos despertos mesmo às quatro da manhã.É preciso ter coragem para fazer da vida o que queremos dela. E quem o consegue por meios e fins honestos tem a minha eterna admiração; os que vão por caminhos menos gastos e, por isso mesmo, têm vivências mais cheias. Os que conhecem estranhos nos aeroportos da vida e lhes abrem a porta por umas horas, para que a vida deles lhes entre pela casa adentro.Idealmente, para mim, haveriam sítios em cada lugar deste mundo onde nos pudessemos sentar e ouvir os outros. Desconhecidos que, sem necessidade de confissão mas com a confiança despreocupada que reservamos tantas vezes apenas para os que nos são estranhos, exactamente porque não os conhecemos e é indiferente se nos julgam, se sentassem ao pé de nós e nos narrassem, sem pausa nem pressa, aquilo que da sua história achassem merecedor de se ouvir. Se um lugar assim existisse eu compraria uma daquelas cadeiras de praia e sentar-me-ia a escutar cada alma que me achasse merecedora da partilha.Sentada numa cadeira de praia, ficaria eu imensamente mais rica. Quem sabe, trocando assim passados, não ficaríamos todos de coração mais leve também.

Carina Pereira

in "Crónicas Ao Acaso"

Sab | 09.05.15

A Vida Dos Outros

Carina Pereira
Há vidas fascinantes. Há vidas que nem precisam de encadernação com capa de couro polida, são livros abertos e inteiros, de nos perdermos assim mesmo, só em as ouvir.A vida alheia fascina-me. Não num esforço mesquinho de a querer saber por saber, de a julgar ou apontar dedos, mas na simples e sincera curiosidade de gostar de histórias. Embora me retraia a questionar quando tenho oportunidade, gosto de saber dos passados de outrem, dos seus rios e afluentes, de experiências que não são minhas. Fico embevecida a ouvir as histórias das vidas dos outros. Às vezes, até um pouco ciumenta. Não do ciúme que quer arrancar o que os outros têm, só do ciúme de querer eu mesma ter uma vida assim, assente em magia e em histórias que nos deixam de olhos despertos mesmo às quatro da manhã.É preciso ter coragem para fazer da vida o que queremos dela. E quem o consegue por meios e fins honestos tem a minha eterna admiração; os que vão por caminhos menos gastos e, por isso mesmo, têm vivências mais cheias. Os que conhecem estranhos nos aeroportos da vida e lhes abrem a porta por umas horas, para que a vida deles lhes entre pela casa adentro.Idealmente, para mim, haveriam sítios em cada lugar deste mundo onde nos pudessemos sentar e ouvir os outros. Desconhecidos que, sem necessidade de confissão mas com a confiança despreocupada que reservamos tantas vezes apenas para os que nos são estranhos, exactamente porque não os conhecemos e é indiferente se nos julgam, se sentassem ao pé de nós e nos narrassem, sem pausa nem pressa, aquilo que da sua história achassem merecedor de se ouvir. Se um lugar assim existisse eu compraria uma daquelas cadeiras de praia e sentar-me-ia a escutar cada alma que me achasse merecedora da partilha.Sentada numa cadeira de praia, ficaria eu imensamente mais rica. Quem sabe, trocando assim passados, não ficaríamos todos de coração mais leve também.

Carina Pereira

in "Crónicas Ao Acaso"

Sab | 09.05.15

Coxinhas De Frango

Carina Pereira
Pois bem, ontem quando recebi o e-mail da Maria Capaz mencionei que estava a tirar uma receita para fazer coxinhas de frango. Hoje de manhã, por algum milagre do Senhor, lá me apeteceu ir fazê-las. Não tenho muita paciência para a cozinha, mas vivendo aqui é um pouco mais difícil encontrar coxinhas e rissóis à venda, por isso se os quero comer tenho de me amanhar.Devo já dizer que a receita, apesar de trabalhosa, vale bem a pena. Até a própria massa é simples de fazer, e de tal forma, que mal precisamos de sujar as mãos e perder muito tempo. O que mais demorou foi mesmo preencher a massa com o frango e fechar para ficar com aquela forma de pêra, além de passar por ovo e pão ralado. Digamos que para confeccionar a massa e a carne me demorou uma hora, e para fazer o resto sozinha levou-me uma hora e meia. Isto com ajuda vai lá mais rápido. No fim fez-se à volta de trinta coxinhas e estão deliciosas! Por isso, foi tempo mais que bem empregue.Deixo aqui a receita, que tirei do site Sabor Intenso (toda a gente conhece, não é? Tem receitas maravilhosas!)E aqui fica o resultado final desta aventura! Nham Nham! :D

Carina Pereira

Sab | 09.05.15

Coxinhas De Frango

Carina Pereira
Pois bem, ontem quando recebi o e-mail da Maria Capaz mencionei que estava a tirar uma receita para fazer coxinhas de frango. Hoje de manhã, por algum milagre do Senhor, lá me apeteceu ir fazê-las. Não tenho muita paciência para a cozinha, mas vivendo aqui é um pouco mais difícil encontrar coxinhas e rissóis à venda, por isso se os quero comer tenho de me amanhar.Devo já dizer que a receita, apesar de trabalhosa, vale bem a pena. Até a própria massa é simples de fazer, e de tal forma, que mal precisamos de sujar as mãos e perder muito tempo. O que mais demorou foi mesmo preencher a massa com o frango e fechar para ficar com aquela forma de pêra, além de passar por ovo e pão ralado. Digamos que para confeccionar a massa e a carne me demorou uma hora, e para fazer o resto sozinha levou-me uma hora e meia. Isto com ajuda vai lá mais rápido. No fim fez-se à volta de trinta coxinhas e estão deliciosas! Por isso, foi tempo mais que bem empregue.Deixo aqui a receita, que tirei do site Sabor Intenso (toda a gente conhece, não é? Tem receitas maravilhosas!)E aqui fica o resultado final desta aventura! Nham Nham! :D

Carina Pereira