Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Contador D'Estórias

Um blog com estórias dentro.

Contador D'Estórias

Um blog com estórias dentro.

Dom | 04.01.15

De Volta à Guitarra - Mês 1

Carina Pereira
Achei boa ideia gravar o meu progresso ao longo do tempo para aprender a escutar-me a mim mesma e para saber o quanto evoluí. Aqui estão duas gravações absolutamente medonhas mas, mesmo assim, encorajadoras. Afinal de contas ainda nem passou um mês desde que comecei.A primeira gravação sou eu a "tocar" "What's Up" das 4 Non Blondes, e a tentar trocar - e a falhar redondamente - entre acordes. As cordas estão certamente desafinadas e o transpositor improvisado não funciona na perfeição - recordem-se de que ainda não tenho comigo nem o afinador, nem o transpositor. Além do mais ainda não aprendi a segurar bem a palheta e às vezes lá bate no corpo da guitarra. E com as desculpas que estou a arranjar para o que vem a seguir, já ninguém tem certamente vontade de abrir os ficheiros.A segunda gravação é a minha tentativa - frustrada e falhada - de tocar e cantar ao mesmo tempo. Fico completamente fora de ritmo e como estou demasiado concentrada em tocar a voz também não me sai nada de jeito, ou seja, tento fazer tudo ao mesmo tempo e acabo por não conseguir fazer nada.Mas isto é uma gravação do meu progresso, não uma maquete de apresentação. Para ouvir é só clicar nos links. Contactos para psicólogos e terapeutas encontram-se no google. At your own risk.MúsicaMúsica e Voz

Carina Pereira

Dom | 04.01.15

De Volta à Guitarra - Mês 1

Carina Pereira
Achei boa ideia gravar o meu progresso ao longo do tempo para aprender a escutar-me a mim mesma e para saber o quanto evoluí. Aqui estão duas gravações absolutamente medonhas mas, mesmo assim, encorajadoras. Afinal de contas ainda nem passou um mês desde que comecei.A primeira gravação sou eu a "tocar" "What's Up" das 4 Non Blondes, e a tentar trocar - e a falhar redondamente - entre acordes. As cordas estão certamente desafinadas e o transpositor improvisado não funciona na perfeição - recordem-se de que ainda não tenho comigo nem o afinador, nem o transpositor. Além do mais ainda não aprendi a segurar bem a palheta e às vezes lá bate no corpo da guitarra. E com as desculpas que estou a arranjar para o que vem a seguir, já ninguém tem certamente vontade de abrir os ficheiros.A segunda gravação é a minha tentativa - frustrada e falhada - de tocar e cantar ao mesmo tempo. Fico completamente fora de ritmo e como estou demasiado concentrada em tocar a voz também não me sai nada de jeito, ou seja, tento fazer tudo ao mesmo tempo e acabo por não conseguir fazer nada.Mas isto é uma gravação do meu progresso, não uma maquete de apresentação. Para ouvir é só clicar nos links. Contactos para psicólogos e terapeutas encontram-se no google. At your own risk.MúsicaMúsica e Voz

Carina Pereira

Dom | 04.01.15

De Volta À Guitarra - Improvisar Um Transpositor (Capo)

Carina Pereira
Como comecei a tocar guitarra há pouco tempo e a única loja de música aqui da terra onde vivo fechou, ainda não tinha comprado um transpositor para a minha guitarra acústica. Mas, ao procurar músicas simples para começar já a treinar os acordes que sei, deparei-me com a "What's Up" das 4 Non Blondes, que leva com o transpositor no segundo traste, logo assim a matar. Quando encontro algo que sei que posso fazer mas não tenho todos os meios para fazê-lo, dá-me logo a comichão de arranjar uma forma de improvisar o que quero. A minha primeira tentativa de inventar um transpositor foram aquelas peças plásticas que usam muito nos filmes para prender os reféns, que uma vez apertadas nunca mais se abrem a não ser que se cortem. Não me lembro do nome mas também não preciso, porque não funcionam. O plástico dobra, as cordas ressoam. Não é bonito.Virei-me então para um dos meus aliados da web - "no meu tempo tinha de ir à biblioteca, estes jovens de hoje em dia sem tecnologia não são nada" - e googlei uma maneira de fazer um capo com o que tivesse à mão. Também tentei, antes ainda de ceder à única forma evidente de fazer um, usar um daqueles travessões - como faço laços para o cabelo tenho isso sempre à mão - mas, tal como a peça de plástico para prender reféns, também o travessão me falhou. Por isso não percam tempo, o que vos vou mostrar a seguir é a forma mais simples e funcional de improvisarem um capo.Precisam de:- Um lápis (depois de algumas tentativas e erros cheguei à conclusão que os lápis do Ikea são os melhores para isto. Devem ter uma aerodinâmica especial, não sei, mas são os que funcionam melhor. Se não houver Ikea amanhem-se com qualquer coisa e boa sorte.)- Alguns elásticos (de escritório. O ideal seriam à volta de três elásticos, mas como verão nas minhas fotos eu só tinha dois em casa e acabei por rebentar - e remendar também - um deles. Mas o som vai sair mais limpinho se usarem três pois puxará mais o lápis de encontro às cordas.)Para quem precise, e como quero deixar aqui tudo direitinho, está aqui um exemplo dos materiais que eu usei (inclusivé o elástico já rebentado e remendado):Como fazer:- Dobrar os elásticos a meio assim:- Colocar o lápis sobre o traste pretendido- Prender com o elástico colocando-o numa ponta do lápis e depois passando-o por trás do braço da guitarra, prendendo-o na outra ponta do lápis.- Colocar quantos elásticos forem necessários para produzir um som limpo ("quantos forem necessários," digo eu, mas sejam sensíveis.)- E voilá! Feitinho!Eu não sei que efeito os elásticos podem ter a longo prazo no braço da guitarra - talvez este medo tenha a ver com um velho trauma que ainda me assombra por causa de uma guitarra minha antiga cujo braço partiu e cuja perda me fez chorar rios e mares, mas a precaução é sempre um bom caminho - mas eu não aconselhava a deixar sempre este transpositor improvisado colocado na guitarra. Quando não uso a guitarra durante algum tempo eu retiro-o. E, de qualquer forma, isto é suposto servir como um desembaraço, não para ser usado como espeto de pau em casa de ferreiro.Espero que este pequeno tutorial tenha sido útil e vos desenrasque em tempos menos áureos.

Carina Pereira

Dom | 04.01.15

De Volta À Guitarra - Improvisar Um Transpositor (Capo)

Carina Pereira
Como comecei a tocar guitarra há pouco tempo e a única loja de música aqui da terra onde vivo fechou, ainda não tinha comprado um transpositor para a minha guitarra acústica. Mas, ao procurar músicas simples para começar já a treinar os acordes que sei, deparei-me com a "What's Up" das 4 Non Blondes, que leva com o transpositor no segundo traste, logo assim a matar. Quando encontro algo que sei que posso fazer mas não tenho todos os meios para fazê-lo, dá-me logo a comichão de arranjar uma forma de improvisar o que quero. A minha primeira tentativa de inventar um transpositor foram aquelas peças plásticas que usam muito nos filmes para prender os reféns, que uma vez apertadas nunca mais se abrem a não ser que se cortem. Não me lembro do nome mas também não preciso, porque não funcionam. O plástico dobra, as cordas ressoam. Não é bonito.Virei-me então para um dos meus aliados da web - "no meu tempo tinha de ir à biblioteca, estes jovens de hoje em dia sem tecnologia não são nada" - e googlei uma maneira de fazer um capo com o que tivesse à mão. Também tentei, antes ainda de ceder à única forma evidente de fazer um, usar um daqueles travessões - como faço laços para o cabelo tenho isso sempre à mão - mas, tal como a peça de plástico para prender reféns, também o travessão me falhou. Por isso não percam tempo, o que vos vou mostrar a seguir é a forma mais simples e funcional de improvisarem um capo.Precisam de:- Um lápis (depois de algumas tentativas e erros cheguei à conclusão que os lápis do Ikea são os melhores para isto. Devem ter uma aerodinâmica especial, não sei, mas são os que funcionam melhor. Se não houver Ikea amanhem-se com qualquer coisa e boa sorte.)- Alguns elásticos (de escritório. O ideal seriam à volta de três elásticos, mas como verão nas minhas fotos eu só tinha dois em casa e acabei por rebentar - e remendar também - um deles. Mas o som vai sair mais limpinho se usarem três pois puxará mais o lápis de encontro às cordas.)Para quem precise, e como quero deixar aqui tudo direitinho, está aqui um exemplo dos materiais que eu usei (inclusivé o elástico já rebentado e remendado):Como fazer:- Dobrar os elásticos a meio assim:- Colocar o lápis sobre o traste pretendido- Prender com o elástico colocando-o numa ponta do lápis e depois passando-o por trás do braço da guitarra, prendendo-o na outra ponta do lápis.- Colocar quantos elásticos forem necessários para produzir um som limpo ("quantos forem necessários," digo eu, mas sejam sensíveis.)- E voilá! Feitinho!Eu não sei que efeito os elásticos podem ter a longo prazo no braço da guitarra - talvez este medo tenha a ver com um velho trauma que ainda me assombra por causa de uma guitarra minha antiga cujo braço partiu e cuja perda me fez chorar rios e mares, mas a precaução é sempre um bom caminho - mas eu não aconselhava a deixar sempre este transpositor improvisado colocado na guitarra. Quando não uso a guitarra durante algum tempo eu retiro-o. E, de qualquer forma, isto é suposto servir como um desembaraço, não para ser usado como espeto de pau em casa de ferreiro.Espero que este pequeno tutorial tenha sido útil e vos desenrasque em tempos menos áureos.

Carina Pereira

Dom | 04.01.15

De Volta à Guitarra - Info

Carina Pereira
As aulas que eu vi online e transpus para Português aqui eram muito boas, mas acabaram-se.Infelizmente a lição número 12 foi a última que ensinava acordes. As lições 13, 14, 15 e 16 ensinam a dedilhar, a última ensina até a tocar o famoso "Knocking On Heaven's Door," o que me é impossível pôr no papel.Deixo aqui os vídeos em Inglês para quem quiser aprender, mas receio que as lições e apontamentos em papel se fiquem por aqui.Lição 13Lição 14Lição 15Lição 16O site do mesmo canal do youtube tem, no entanto, um widget bastante interessante com outros acordes que não constam nos vídeos. Por isso, antes de dar estes apontamentos como concluídos, farei outros posts apenas com os acordes lá disponíveis, desde o A até ao G - creio que não tem todos os acordes existentes, mas isso seria provavelmente pedir demais.O widget de que falo é este aqui.Provavelmente farei uma pesquisa para descobrir que cordas compõem cada acorde, mas mais tarde. Para já os posts que farei, um para cada acorde, serão mais simples e rápidos, não terão a mesma forma que tiveram até aqui.Depois disso deixarei aqui também o PDF com todos esses apontamentos para quem quiser fazer o download.*Quanto ao meu progresso com a guitarra não me posso queixar. Embora tenha andado a evitar os acordes com barra - e questiono-me se será humanamente possível barrar as cordas e reproduzir um som limpo e não sentir que a minha mão está a ser torturada - tenho como plano acabar o mês de Janeiro e tê-los domados. Estou a referir-me aos Bs e Fs. Desgraçados. Mas tenho treinado a velhinha música "What's Up" das 4 Non Blondes, que só tem acordes meiguinhos, como o D, C e Amenor. A troca entre acordes ainda é lenta, mas sei que fica melhor, mais rápida a cada dia que passa. Assim como os dedos já se vão dobrando ao meu comando quando antes eram rígidos e teimosos. E já vou conseguindo cantar um pouco enquanto toco, embora na verdade também saiba que a maior parte das vezes troco o ritmo dos acordes todo porque começo a cantar. É divertido na mesma.Amanhã faço anos. 28! Como prenda para mim própria encomendei um transpositor (capo) e um afinador online, que devem chegar amanhã. Ainda não tenho nenhum dos dois e fazem-me falta. Até já improvisei, para cantar a "What's Up," um capo com um lápiz e dois elásticos. Depois deixo aqui um tutorial, por mais básico que fazer um seja.Amanhã recomeçam também as minhas aulas de Italiano! Mas como foi passagem de ano vamos na verdade fazer uma pequena festa na aula. Tenho de fazer uma tarte de nata para levar.Queria acabar mais uma das estórias da minha colecção "Estórias Da Minha Aldeia" mas não sei se tenho inspiração neste momento. A ver vamos.E parece que este post de informação sobre guitarra se tornou também num post pessoal. Um brinde a mim e à minha tagarelice.

Carina Pereira

Dom | 04.01.15

De Volta à Guitarra - Info

Carina Pereira
As aulas que eu vi online e transpus para Português aqui eram muito boas, mas acabaram-se.Infelizmente a lição número 12 foi a última que ensinava acordes. As lições 13, 14, 15 e 16 ensinam a dedilhar, a última ensina até a tocar o famoso "Knocking On Heaven's Door," o que me é impossível pôr no papel.Deixo aqui os vídeos em Inglês para quem quiser aprender, mas receio que as lições e apontamentos em papel se fiquem por aqui.Lição 13Lição 14Lição 15Lição 16O site do mesmo canal do youtube tem, no entanto, um widget bastante interessante com outros acordes que não constam nos vídeos. Por isso, antes de dar estes apontamentos como concluídos, farei outros posts apenas com os acordes lá disponíveis, desde o A até ao G - creio que não tem todos os acordes existentes, mas isso seria provavelmente pedir demais.O widget de que falo é este aqui.Provavelmente farei uma pesquisa para descobrir que cordas compõem cada acorde, mas mais tarde. Para já os posts que farei, um para cada acorde, serão mais simples e rápidos, não terão a mesma forma que tiveram até aqui.Depois disso deixarei aqui também o PDF com todos esses apontamentos para quem quiser fazer o download.*Quanto ao meu progresso com a guitarra não me posso queixar. Embora tenha andado a evitar os acordes com barra - e questiono-me se será humanamente possível barrar as cordas e reproduzir um som limpo e não sentir que a minha mão está a ser torturada - tenho como plano acabar o mês de Janeiro e tê-los domados. Estou a referir-me aos Bs e Fs. Desgraçados. Mas tenho treinado a velhinha música "What's Up" das 4 Non Blondes, que só tem acordes meiguinhos, como o D, C e Amenor. A troca entre acordes ainda é lenta, mas sei que fica melhor, mais rápida a cada dia que passa. Assim como os dedos já se vão dobrando ao meu comando quando antes eram rígidos e teimosos. E já vou conseguindo cantar um pouco enquanto toco, embora na verdade também saiba que a maior parte das vezes troco o ritmo dos acordes todo porque começo a cantar. É divertido na mesma.Amanhã faço anos. 28! Como prenda para mim própria encomendei um transpositor (capo) e um afinador online, que devem chegar amanhã. Ainda não tenho nenhum dos dois e fazem-me falta. Até já improvisei, para cantar a "What's Up," um capo com um lápiz e dois elásticos. Depois deixo aqui um tutorial, por mais básico que fazer um seja.Amanhã recomeçam também as minhas aulas de Italiano! Mas como foi passagem de ano vamos na verdade fazer uma pequena festa na aula. Tenho de fazer uma tarte de nata para levar.Queria acabar mais uma das estórias da minha colecção "Estórias Da Minha Aldeia" mas não sei se tenho inspiração neste momento. A ver vamos.E parece que este post de informação sobre guitarra se tornou também num post pessoal. Um brinde a mim e à minha tagarelice.

Carina Pereira